Cases

Como trabalhar em equipe

O trabalho no Playback Theatre em si, é um trabalho de equipe. Os atores fazem as cenas sem conversar uns com os outros, só se falando enquanto personagens.

Neste contrato, o cliente queria algumas cenas que mostrassem o quanto as pessoas se orgulhavam de trabalhar na empresa e o quanto elas estavam encarando a mudança que está acontecendo.

Após o espetáculo, o diretor da empresa entrou em cena e fizemos um jogo, onde ele nos fazia perguntas sobre como era feito o espetáculo, uma vez que parecia que havia sido ensaiado.

Não fora ensaiado! E o papo serviu para mostrar a todos o que fazemos para trabalhar em equipe.

Como fechar um departamento.

Uma empresa precisava fechar um departamento; era uma situação difícil porque não haveria um reaproveitamento; ou seja, todos seriam demitidos.

Em uma reunião com os responsáveis, sugeri que fizéssemos um espetáculo sobre “Como enfrentar mudanças”.

Eu esperava que as pessoas pudessem ver que toda mudança, apesar de poder ser difícil no momento, tem um sentido de crescimento.

Ao final, as pessoas no momento da demissão agradeceram o RH sobre o espetáculo que haviam assistido. Diziam ter uma outra perspectiva sobre o futuro.

Quando a fama “sobe à cabeça”!

A empresa convivia com o fato de ter um determinado setor em vendas que se achava o máximo (de fato, eles eram — haviam faturado mais do que qualquer outro setor da empresa).

Mas… não conseguiam enxergar o resto da empresa como “necessário”.

Sugeri que fizéssemos um espetáculo sobre “O que o passado nos ensina”, focando em quais coisas eles havia aprendido com o passado e utilizavam até hoje.

Cenas maravilhosas, onde vimos o que havia sido aprendido no passado e não havia sido esquecido (em geral com a família).

A grande jogada veio ao final: terminado o espetáculo, sugeri um debate com a platéia, para pensarmos quais elementos do teatro poderiam ser despedidos: os atores? o músico? o diretor? a plateia?

Segundo a conclusão deles mesmos, após discutirem bastante, não seria possível demitir ninguém.

Adeus ano velho…feliz ano novo!

Existia um novo sistema a ser implantado; era uma situação esperada por todos porque eles já não aguentavam mais os problemas com o sistema “velho”.

Numa tomada de briefing fiquei sabendo que o maior temor das pessoas que estavam organizando era que, durante o treinamento, as críticas com o “velho” sistema invadissem o treinamento (com razão porque o sistema “velho” tinha tantos problemas que algumas visitas eram perdidas…).

Minha sugestão era que fizéssemos um espetáculo no início do treinamento sobre o “Sistema Velho” (sim, este era o nome).

Minha hipótese era que se eles tivessem um espaço para reclamar do “velho sistema”, logo no início do treinamento, esse assunto seria esgotado e eles poderiam passar para o treinamento, tranquilos. Minha hipótese foi confirmada. Fizemos 8 espetáculos e em cada um deles vimos o quanto o sistema velho tinha causado de problemas; divertimo-nos muito. E não se falou mais sobre o “sistema velho” durante todo o resto do treinamento.